Como ensinar seu filhote a fazer necessidades no lugar certo e a obedecer mais

A aquisição de um filhote implica um certo número de imposições e um conhecimento de sua educação, de maneira a evitar futuros e incômodos distúrbios que, às vezes, infelizmente, são a causa de abandonos, até de eutanásia.

É necessária a educação do filhote (e de seu dono) para que possa reinar um bom entendimento entre ambos. A educação envolve vários pontos, tais como o aprendizado da limpeza e a obediência às ordens básicas.

 

Mas como ensinar um cachorro a ter mais higiene?

Ao chegar numa residência, um filhote não costuma ser limpo. Só não faz suas necessidades onde dorme e limita-se a isso. A partir de seis semanas de idade, o filhote já fareja para encontrar seus lugares precedentes dejeções e procura evacuar sempre, ou preferencialmente, nos mesmos locais.

Aos dois meses de idade, isto é, após as primeiras vacinas, o filhote já pode sair para a rua. Antes dos quatro meses de idade, as saídas deverão ser a cada cinco ou seis horas, ao acordar e após as refeições. Deve-se, inicialmente, escolher um lugar que tenha seus próprios odores, ou você pode utilizar uma folha de jornal com o cheiro do cachorro, coloque essa folha na sarjeta e vá fazendo isso até o filhote acostumar e vá eliminando seu uso progressivamente até não ser mais necessário.

No começo, quando o filhote fazer suas necessidade no local desejado recompense-o de alguma forma, seja com um carinho ou um petisco. Apesar da máxima boa vontade dos donos, sempre haverá acidentes no começo do aprendizado, afinal, é apenas um filhote. Ao encontrar sujeiras dentro da casa, o dono não deve, em hipótese alguma, castigar seu cão (a não ser quando flagrado no ato, mas nunca com violência). Não se deve lançar mão da folha de papel dentro da casa, pois o cachorro integrará e ater-se-á a esse local de eliminação e, mesmo quando levado para a rua, ele esperará a volta para a casa para fazer suas necessidades.

Uma dica muito importante: quando estiver em passeio para o cão fazer suas necessidades, nunca encerre-o imediatamente após o cachorro ter feito, pois ele associará rapidamente necessidades e fim do passeio 😉

 

Como ensinar um filhote a ser mais obediente?

Ensinar um filhote a fazer qualquer coisa não é um bicho de sete cabeças, muito pelo contrário, dependendo da raça é muito fácil ensinar alguns truques para o cão, só é necessário paciência e seguir alguns princípios, o mais indicado é recompensar o cão imediatamente após o mesmo fazer o que se pediu, mas é preciso respeitar algumas regras. A recompensa deve ser significativa para o cão, isto é, o dono deve felicitar o cão através de toques e muitos afagos. Deve ser excepcional em sua natureza, por exemplo, dar petiscos não habituais. E finalmente, não faça de modo sistemático, pois isso desmotivará o cão e o deixará entendiado.

Quanto ao castigo, para ser eficaz, deve intervir no momento do ato e ser simultâneo com o início da ação repreensível. Deve ter um caráter desagradável para o cão e ser sistemático em cada ação repreensível, o que é muito difícil às vezes, pois os donos nem sempre flagram o cão. O castigo posterior só gera ansiedade e agravará a situação. Pode ser direto, por exemplo, segurar a pele do pescoço do cão, o que reproduz o comportamento materno, e sacudir SUAVEMENTE o cão levantando-o LEVEMENTE. Pode-se castigar um cão também à distância, jogando-lhe um objeto não perigoso e que fará barulho ou com spray d’água no focinho. A melhor forma de repreender o cão é dizer “não” com firmeza.

O aprendizado pela recompensa é mais demorado do que o pelo castigo, mas, em contrapartida, é mais duradouro e também o mais indicado. Na hora de castigar, é preciso saber reconhecer a postura de submissão, pois, o castigo deve terminar imediatamente naquele momento. Se o dono persistir, o castigo será sempre ineficaz. Provido com essas informações, o dono poderá empreender a educação de seu cão.

Discursos não servem para dar uma ordem a um cão, pois ele não entende a língua do homem: basta um simples e enérgico “não”. Deve-se acostumá-lo desde cedo ao uso da coleira e da guia normal. Caminhar com a guia pode começar em casa, várias vezes ao dia e sempre por curtos períodos de tempo. Se o cão puxar, deve-se dar um puxão na guia. Não se deve esquecer de recompensá-lo quando ele trabalhar bem.

Alguns cães não voltam ao ser chamados. Chegam até alguns metros dos donos, param, e quando os donos se aproximam para segurá-los, voltam a correr. Antes de tudo, deve-se manter a calma e não irritar-se e, ainda menos, castigar o animal. Irritar-se não pode ocorrer em hipótese alguma. Mesmo que o cão se faça rogar, não deve ser castigado quando volta.

Talvez seja esse o erro mais comum.

O cão associará castigo ao fato de ter voltado até seus donos. Ao contrário, deve-se felicitá-lo, acariciá-lo e sobretudo não voltar a atá-lo, mas sim deixá-lo brincar. Para ele, será um castigo chamá-lo para colocar a guia e voltar para casa. Fazê-lo voltar requer uma atitude calma e acolhedora; jamais correr atrás dele, pois jamais será alcançado! Deve-se, ao contrário, fingir ir embora e dar a meia-volta: aí sim ele voltará.

Juntar-se a Discussão

Encontrar

Compare listings

Compare